Vem chegando o verão e logo a gente pensa em colocar o corpo à mostra (mas, com classe, né?). Duas peças que sempre vêm à cabeça na hora de montar looks fresquinhos são os shorts e saias, porém um item que vem dando o que falar e que pode ser peça chave para a próxima estação, é a bermuda.

Criada como adaptação das calças para uso de soldados e policiais que enfrentavam o calor das colônias inglesas na Índia e adotada pelo governo de Bermudas, nos anos 30, para os funcionários da polícia, caiu nas graças do americanos, que com o olhar fashionista, logo viram a peça como roupa ideal para curtir as férias.

Muita gente acha o comprimento ingrato, mas as bermudas podem ser bem interessantes para compor produções um pouco mais sóbrias, dando um toque moderno e cheio de estilo no visual. Dá até pra jogar um blazer para entrar naquela reunião mais descontraída.

No último fim de semana, tava um calor insuportável aqui em Belo Horizonte e me deu vontade de usar as pernas de fora, que não fosse shorts ou saia. Cadê a bermuda? Vou providenciar! Inspiração não falta!

Beijos!

Crédito fonta: Livro Por Dentro da Moda, Elle
Crédito imagens: Pinterest, Balaio de Estilo, Dady Parra, Harper’s Bazaar, HOUSE 22, Elle España







Originalmente, o mule era um chinelo de quarto, com salto, fechado na frente e sem calcanhar, usado desde 1940. Quando o mesmo nome foi usado na década de 90 para identificar um modelo de sapato feminino com o mesmo design, porém para uso no dia a dia, o mule ganhou destaque no mundo da moda.

O modelo sem salto foi uma das tendências que fizeram sucesso no último inverno, e pelo que parece, o calçado segue firme para a próxima estação, nas versões com e sem salto.

Como de praxe, vale ressaltar que a tendência só deve ser usada se combinar com você e seu estilo. Mas, com tanto modelo variando da versão clássica às reinvenções do calçado, vai que algum faz seu tipo.

Beijos e bom feriado!

Crédito fonte: Vogue, Livro Por Dentro da Moda
Crédito imagens: Tibi, Pinterest, Ana Hickmann Denim, Style It Up, Lauren Messiah, ModeSens, QNNF







A pequena bolsa, usada principalmente na cintura presa ao cinto, conhecida como pochete, veio da Antiguidade e foi de onde se originou a bolsa. Até a Idade Média, o alforje (a atual pochete) era usado para carregar dinheiro e pequenos objetos e ficava sempre escondido embaixo das roupas.

Como tudo na moda tem uma história, é bem legal saber que a pochete, tão criticada por muitos, sempre foi extremamente útil e que volta com a mesma funcionalidade, porém aperfeiçoada.

Em diversos formatos, tamanhos e materiais, a pochete tentou retornar em 2016, sem sucesso, mas parece que dessa vez, ela veio pra ficar. Obviamente, quem traz a tendência à tona são as celebridades do mundo da moda que gostam de mostrar originalidade e autenticidade em seus looks, o que acaba fazendo notar, com outros olhos, peças antes nada aceitáveis para pessoas comuns, como nós.

Em 2009, em um dos meus uniformes (quando trabalhei na loja Maria Filó), o acessório que complementava o look era uma pochete. Vinha no cinto e também tinha uma alça metálica, no caso de optar por usá-la como bolsa. O cinto não me serve mais e já desapeguei, mas a bolsa está aqui, firme e forte para usar sempre!

Quem ainda tinha preconceito com o acessório, tá na hora de pensar melhor.

Crédito imagens: Pinterest, Luma Paganella, Ma Beraldo, Layla Monteiro, Maria Clara Lauton







Parece que foi ontem que conhecemos as cores da Pantone para 2017, e o ano nem bem acabou, já temos as novas tonalidades do calendário da primavera 2018.

A Pantone vem constantemente renovando sua paleta e desde 2000, anualmente, a marca lança uma cor que será “a cor do ano”, se tornando o modelo padrão para o design, moda e outras áreas gráficas.

Ao contrário das tradicionais 10 cores, dessa vez, a Pantone trouxe 12, e não foi pro acaso. A diretora executiva do Pantone Color Institute, Leatrice Eiseman, tem uma explicação. “O nível de expectativa das pessoas está aumentando. O mundo do design industrial e de produtos está finalmente se abrindo para a ideia de usar mais cores. Se as pessoas verem tons de rosa e metálicos que são recentes, frescos e divertidos em seus eletrônicos, eles também vão querer vê-los em sapatos, acessórios, roupas e na moda.”

Faz sentido, afinal, tudo está conectado! Agora, a dúvida que fica é: qual delas será a cor do ano de 2018?

Crédito fonte: Elle, Vogue
Crédito imagem: Trend2, Pantone

Publicado por
Luciana Caram






© 2014 PartyStyle.

Todos direitos reservados.

Desenvolvido pela