Postagem pela TAG "DNA"


 

O uso da pele de animais selvagens é tão antigo quanto a nossa própria história. Os nossos ancestrais usavam pele para se proteger e, por esse motivo, alguns psicólogos defendem a ideia de que a fascinação pelas imagens e estampas de animais está em nosso DNA.

Na civilização antiga, usar pele de animal era símbolo de status e poder, usada por reis, nobres e figuras religiosas. As estampas de animais, assim como suas peles, começaram a ter status fashion no século 18, por fazerem referência ao universo exótico da África e seus animais selvagens, e viraram sinônimo de ousadia e luxo.

Até então, as estampas de animais estavam presentes no vestuário apenas no uso de peles, mas aos poucos as pessoas foram valorizando as formas e padronagem dos pelos dos animais, do que a pele em si. Pode-se considerar que esse foi o começo do “animal print”.

animal
Historicamente, o filme Tarzan, dos anos 30, foi um marco inicial e ajudou a promover no mundo da moda as estampas de inspiração africana. Um dos exemplos disso é o vestido criado em 1936 pela casa francesa Busvine, feito com estampa de leopardo. Na mesma época, a estilista francesa Jeanne Paquin usou peles de leopardo em suas coleções.
Já na década de 40 Christian Dior foi o primeiro a usar a estampa de onça, e não a pele, em um vestido apropriadamente chamado ‘África’, para sua coleção primavera-verão. Depois o animal print ganhou forma em acessórios, bolsas, sapatos e até mesmo em objetos de decoração.

Imagens Textos Chris (40)
O cinema dos anos 50 e 60 também ajudou a transformar as estampas de animais em símbolos de elegância e sofisticação. O que ainda continuou por toda a década de 70. Nos anos 80, época do exagero e que muita gente considera de gosto duvidoso, o animal print foi usado e abusado e pela primeira vez em algum tempo com uma novidade: usando somente a padronagem do animal mas com cores como pink e verde limão. Todo esse exagero fez com que na década de 90 a estampa de bicho fosse associada a roupas vulgares e de baixa qualidade, coisa que talvez só a Versace podia ousar a fazer.

Imagens Textos Chris (15)
Mas os últimos anos viraram a moda de cabeça para baixo. Tudo é válido, tudo pode. Até então, somente os animais exóticos tinham vez. Agora outros animais se misturam às estampas de onça, zebra e cobra, como por exemplo as de vaca e girafa.


De fato, o animal print deve estar mesmo em nosso DNA. Já foi tendência, atemporal, clássico, cafona e chique. Hoje parece que veio para ficar. E estão por toda parte, seja na lojinha do bairro ou no desfile de Roberto Cavalli.

Um beijo,
Carla Câmara
(@PartyStyle_ Dicas e Inspirações)

Crédito imagem: Web

Publicado por
Carla Câmara






© 2014 PartyStyle.

Todos direitos reservados.

Desenvolvido pela